sebraelogo

Loja de roupas e acessórios para surfistas

roberto chamoun

Apresentação

Aviso: Antes de conhecer este negócio, vale ressaltar que os tópicos a seguir não fazem parte de um Plano de Negócio e sim do perfil do ambiente no qual o empreendedor irá vislumbrar uma oportunidade de negócio como a descrita a seguir. O objetivo de todos os tópicos a seguir é desmistificar e dar uma visão geral de como um negócio se posiciona no mercado. Quais as variáveis que mais afetam este tipo de negócio? Como se comportam essas variáveis de mercado? Como levantar as informações necessárias para se tomar a iniciativa de empreender?

O surfe é um esporte com uma característica marcante. A sua volta gira uma indústria com um forte apelo comercial.
 
Acredita-se que a ?áurea? de verão sem fim, envolvendo o esporte, seduz um público bem mais amplo do que o universo de surfistas. É muito comum encontrar pessoas de diversas classes sociais e interesses profissionais e que não praticam o surfe, mas que, nos seus dias de folga, vestem roupas produzidas pela indústria do surfe. Pesquisas revelam que 95% dos consumidores destes estabelecimentos, são simpatizantes do estilo e do modo de vida associados ao surfe.
 
A indústria do surfe, caracteriza-se por sua segmentação, partindo-se da idéia que este conceito envolve grupos de consumidores com necessidades e anseios semelhantes. Embora o esporte de deslizar sobre as ondas seja o ponto focal do negócio, o surfe está associado a uma gama de valores e opiniões diferenciadas, subdividindo o segmento em nichos muito expressivos de consumidores que se identificam com as principais marcas, conforme gosto e questões valorizadas, como por exemplo: ambientalismo, cultura de clãs, nomadismo, instinto competitivo, saudosismos etc. Por isso, identificar e se posicionar estabelecendo uma forma de comunicação segmentada com o público-alvo da loja de surfe, são requisitos essenciais para quem deseja empreender neste segmento.
 
Este documento não substitui o plano de negócio. Para elaboração deste plano consulte o SEBRAE mais próximo.

Mercado

Como calor é o que não falta no Brasil, praticamente três em cada dez peças de vestuário vendidas por aqui entram na categoria de moda praia, ou o chamado surfwear.  Bermudas floridas, camiseta colorida, óculos escuros e/ou saia de tecido impermeável compõem o visual de cerca de 30 milhões de consumidores no país.

Segundo dados da Abit (Associação Brasileira da Indústria Têxtil), no ano passado, o setor movimentou R$ 1,5 bilhão em vendas, o que coloca o brasileiro entre os povos que mais consomem esse tipo de roupa no mundo. A associação diz que, em 2010, foram produzidas 300 milhões de peças (incluindo biquínis, sungas e maiôs) e importadas outras 300 mil.

Estima-se que, toda a cadeia de vestuário de surfwear moveu cerca de R$ 9 bilhões no ano passado. Isso dá 7% do PIB (Produto Interno Bruto, soma de todas as riquezas produzidas no país). Colocando os setores de produção de equipamentos e acessórios (pranchas, óculos, nadadeiras e outros), chega-se a 13%.

Trata-se de um segmento com consumidores em todas as classes e faixas etárias. O Brasil tem mais de 8.000 km de praias no seu litoral. Consumimos tantas roupas assim que somos o terceiro mercado mundial desse segmento. À frente estão somente a América do Norte, que é o primeiro (incluindo Estados Unidos, México e Canadá) e a Europa como um todo.

É fácil encontrar um consumidor na rua com pelo menos uma peça de vestuário do estilo praia, mesmo em dia de garoa em São Paulo. Moletons, bermudas, óculos escuros, camisetas, boné e outras combinações das dezenas de marcas que atuam no mercado são mais do que comuns entre os jovens das grandes cidades ? tenha ela praia ou não.

A revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios, de setembro de 2008, fez uma boa fotografia deste mercado:
- 63% dos consumidores têm entre 21 e 40 anos;
- 87% dos compradores principalmente da moda surfe, não praticam o esporte;
- 52% da clientela simpatizante é feminina;
- 40% dos praticantes e 15% dos simpatizantes do surfe têm ensino superior completo;
- 92% dos praticantes e 50% dos simpatizantes são das classes A ?B;
- O tíquete médio dos praticantes é de R$ 700,00 por ano e dos simpatizantes chega a R$ 1.200,00.

Localização

Embora existam consumidores de surfwear em todas as classes sociais, as maiores possibilidades de sucesso estão nos centros de comércio mais ativos das regiões de classe média e alta, e em regiões de praia ou balneários. A heterogeneidade social do público consumidor faz com que a definição do local de instalação de uma loja de roupas e acessórios para surfe seja feita com alguns critérios.
 
Especialistas afirmam que esta decisão se dá em duas esferas principais: Identificação do território (região) e localização (endereço), considerando-se ainda algumas variáveis como: a demanda (potencial), a oferta (concorrência) e os custos (aluguel, reforma etc).
 
Segundo a ABF ? Associação Brasileira de Franchising -, a definição da melhor localização ?ponto? é um pouco mais complexa do que aparenta, pois envolve variáveis antagônicas, como fluxo de pessoas e custos. O melhor ponto não é necessariamente aquele que proporcionará o maior faturamento, e sim aquele que trará o melhor resultado. Para tanto, deve-se conhecer profundamente as particularidades do negócio, principalmente, aquelas envolvendo receitas e custos.
 
A seguir, são apresentados alguns aspectos que devem ser avaliados num processo de seleção do local de instalação da sua loja de roupas e acessórios para surfe:
 
- Fatores de demanda: a característica populacional em torno do estabelecimento é o principal fator a ser contemplado num estudo de localização. Não se deve se restringir à quantidade de pessoas residentes ou passantes que frequentam a região. É necessário, além disso, identificar o perfil sócio-econômico dessa população (faixa etária, renda, nível educacional), os seus hábitos de consumo e interesse pelo seu produto.
 
- Fatores de oferta: adicionado ao conhecimento do potencial da região verificado na etapa anterior, é preciso mensurar a influência da concorrência na região. Se estiver sendo bem atendida, quem são os concorrentes, como eles atuam, que espaço de mercado está disponível. A concorrência na região não é, obrigatoriamente, um fator negativo; ao contrário, muitas vezes verifica-se que a concentração de lojas de um mesmo segmento pode tornar a região um pólo de compras para o produto em questão.
 
- Fatores de custos: a análise do melhor ponto deve envolver também as condições de utilização do mesmo, inclusive aquelas que influenciam diretamente nos custos, sejam no investimento inicial (luvas, obras, reformas, comunicação), ou no custo operacional (aluguel, impostos etc.).
 
Além dos pontos acima citados, outras características devem ser observadas antes da definição pelo local: 
  • Visualização;
  • Facilidade de acesso;
  • Área para estacionamento;
  • Legislação local. As atividades econômicas da maioria das cidades são regulamentadas pelo Plano Diretor Urbano (PDU). É essa Lei que determina o tipo de atividade que pode funcionar em determinado endereço. A consulta de local junto à Prefeitura é o primeiro passo para avaliar a implantação de sua loja.

Exigências

Não existe legislação específica, que venha regulamentar a atividade de loja de roupas e acessórios para surfistas.
 
O empreendimento está dispensado de obter registro ou autorização de funcionamento específico, junto a entidades ou órgãos fiscalizadores de atividades regulamentadas. Bastando apenas ao empreendedor obter a inscrição junto aos órgãos exigíveis das sociedades empresárias em geral.
 
A pessoa jurídica também não está sujeita à responsabilidade técnica, ou seja, não se exige do empreendimento a manutenção, em seus quadros, de profissional habilitado junto a órgão ou conselho de classe fiscalizador de profissão regulamentada.
 
Vale lembrar que, as empresas que fornecem serviços e produtos no mercado de consumo devem observar as regras de proteção ao consumidor, estabelecidas pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC). O CDC, publicado em 11 de setembro de 1990, regula a relação de consumo em todo o território brasileiro, na busca de equilibrar a relação entre consumidores e fornecedores.
 
O CDC somente se aplica às operações comerciais em que estiver presente a relação de consumo, isto é, nos casos em que uma pessoa (física ou jurídica) adquire produtos ou serviços como destinatário final. Ou seja, é necessário que em uma negociação estejam presentes o fornecedor e o consumidor, e que o produto ou serviço adquirido satisfaça as necessidades próprias do consumidor, na condição de destinatário final.
 
Portanto, operações não caracterizadas como relação de consumo não está sob a proteção do CDC, como ocorre, por exemplo, nas compras de mercadorias para serem revendidas pela casa. Nestas operações, as mercadorias adquiridas se destinam à revenda, e não ao consumo da empresa. Tais negociações se regulam pelo Código Civil brasileiro e legislações comerciais específicas.
 
Alguns itens regulados pelo CDC são: forma adequada de oferta e exposição dos produtos destinados à venda; fornecimento de orçamento prévio dos serviços a serem prestadas; cláusulas contratuais consideradas abusivas; responsabilidade dos defeitos ou vícios dos produtos e serviços; os prazos mínimos de garantia; cautelas ao fazer cobranças de dívidas.
 
Desta forma, como já foi dito, por não existir nenhuma exigência específica, para abrir uma loja de roupas e acessórios para surfistas, deve-se seguir os tramites de abertura de uma empresa normal, devendo então seguir os seguintes passos:
 
a) Registro da empresa nos seguintes órgãos:
  • Junta Comercial;
  • Secretaria da Receita Federal (CNPJ);
  • Secretaria Estadual de Fazenda;
  • Prefeitura do Município para obter o alvará de funcionamento;
  • Enquadramento na Entidade Sindical Patronal (empresa ficará obrigada a recolher anualmente a Contribuição Sindical Patronal);
  • Cadastramento junto à Caixa Econômica Federal no sistema ?Conectividade Social ? INSS/FGTS?;
  • Corpo de Bombeiros Militar.
 
b) Visita a prefeitura da cidade onde pretende abrir a sua loja de roupas e acessórios para surfe, para fazer a consulta de local e emissão das certidões de uso do solo e número oficial.

Estrutura

Uma loja de roupas e acessórios para surfe deve ter uma área mínima de cerca de 60 m?2;, subdividido em área de atendimento (com espaço para exposição dos produtos e provadores), estoque e escritório.
 
A fachada, a vitrine e a entrada da loja precisam de atenção especial, pois a elas cabe o papel de transmitir de imediato às características do estabelecimento e despertar o interesse de consumo nos cliente. O ideal é que alem da vitrine, o empreendedor explore o interior da loja, de maneira a levar o cliente a ter contato com os produtos comercializados.
 
Idealmente a decoração da loja deve remeter o cliente ao ambiente do surfe com arranjo físico, disposição dos produtos, arrumação das vitrines, cores, iluminação, desenhos, fotografias, música (som ambiente), vídeo (clipes de música e filmes de surfe) etc., próximos da linguagem e do cenário do esporte.

Pessoal

O quadro de pessoal de uma loja de roupas e acessórios para surfista envolve, basicamente:
 
- Vendedores;
- Caixa;
- Gerente.
 
Principalmente no inicio da atividade empresarial, é natural que o próprio empreendedor desempenhe a gerência do estabelecimento, ou mesmo, outras funções. Sua atenção deverá estar voltada para os aspectos comerciais, operacionais e administrativos envolvendo o negócio.
 
Funções tais como faxineiros, officeboys, vitrinistas e até mesmo vendedores, podem ser contratadas a medida de sua necessidade. Atenção especial, contudo, deve ser dada a forma de contratação (mensalista, horista, autônomo etc.). Consulte seu contador para evitar contingências trabalhistas futuras.

Equipamentos

Dentre os principais equipamentos utilizados pela loja de roupas e acessórios para surfistas destacamos:
- Aparelho de refrigeração de ambiente (ventiladores ou sistema de ar condicionado);
- Araras;
- Armários;
- Balcão de atendimento;
- Bancos / cadeiras;
-Caixa registradora;
- Impressora fiscal;
- Impressora laser ou matricial;
- Leitoras de cartão de crédito;
- Letreiro;
- Manequins;
- Microcomputador;
- Prateleiras diversas;
- Sistema de som;
- Telefone/fax.

Matéria Prima

A gestão de estoques no varejo é a procura do constante equilíbrio entre a oferta e a demanda. Este equilíbrio deve ser sistematicamente aferido através de, entre outros, os seguintes três importantes indicadores de desempenho:
Giro dos estoques: o giro dos estoques é um indicador do número de vezes em que o capital investido em estoques é recuperado através das vendas. Usualmente é medido em base anual e tem a característica de representar o que aconteceu no passado.
Obs.: Quanto maior for a freqüência de entregas dos fornecedores, logicamente em menores lotes, maior será o índice de giro dos estoques, também chamado de índice de rotação de estoques. Cobertura dos estoques: o índice de cobertura dos estoques é a indicação do período de tempo que o estoque, em determinado momento, consegue cobrir as vendas futuras, sem que haja suprimento. Nível de serviço ao cliente: o indicador de nível de serviço ao cliente para o ambiente do varejo de pronta entrega, isto é, aquele segmento de negócio em que o cliente quer receber a mercadoria, ou serviço, imediatamente após a escolha; demonstra o número de oportunidades de venda que podem ter sido perdidas, pelo fato de não existir a mercadoria em estoque ou não se poder executar o serviço com prontidão.
Portanto, o estoque dos produtos deve ser mínimo, visando gerar o menor impacto na alocação de capital de giro. O estoque mínimo deve ser calculado levando-se em conta o número de dias entre o pedido de compra e a entrega dos produtos na sede da empresa.

As mercadorias normalmente comercializadas são shorts, bermudas, biquínis, camisas e camisetas de malha, roupas de neopreno, capa para prancha, parafina, leash (cordinha), deck antiderrapante e pranchas de surfe, relógios a prova de água, anéis, cordões, racks, sandálias, chinelos, dentre outros artigos de vestuários e equipamentos para a prática do surfe, kite-surf e windsurf .
 
Em geral as mercadorias comercializadas pelas lojas de surfe denominadas multimarcas, buscam alinhar as marcas de surfwear comercializadas, com o conceito / estratégias de marketing comunicação, mais identificadas com seu público-alvo. A adoção de estratégias específicas cria uma identificação do surfista com a loja / marca.
 
Vale lembrar que entre os adolescentes, a fidelidade a uma marca, produto ou lugar, é intensa,  mas dura pouco.
 
As lojas e fabricantes que atendem o segmento preocupam-se com estratégias de marketing diferenciadas, respeitando o contexto da história e a cultura do surfe, pois o esporte possui uma série de valores e opiniões diferenciadas, que subdividem o segmento em nichos. As marcas evidenciam seu posicionamento desde a sua criação e toda a forma de comunicação é segmentada para um público-alvo específico.

Processos Produtivos

Os principais processos associados às atividades de uma loja de roupas e artigos para surfistas são:
 
Atendimento e vendas
Horário de funcionamento: dependerá da localização do estabelecimento (rua ou shopping). Geralmente, trabalha-se além do horário de atendimento ao público, em tarefas como visita a fornecedores e compras de mercadorias, limpeza, visita ao banco etc.
 
O ideal é que a loja possua vendedores bem treinados, atualizados e comunicativos, que consigam estabelecer uma boa comunicação com os clientes, auxiliando-os e orientando-os nas compras, buscando maximizar a oportunidade de venda de produtos.
 
Adicionalmente, os vendedores, o caixa e demais empregados da loja devem:
 
Durante o funcionamento
- Manter a loja limpa e arrumada, com as mercadorias organizadas e guardadas adequadamente;
- Fechar as contas com rapidez, encaminhando o cliente ao caixa para pagamento e emissão da nota fiscal.
 
Fechamento do estabelecimento
- Fechar e conferir o caixa;
- Limpar o ambiente;
- Fechar a loja desligando todos os aparelhos e iluminação.
 
Compras e controle de estoque
Inclui a definição do mix de produtos e as compras de acordo com o que foi definido e as necessidades de reposição.
 
As compras devem ser efetuadas em sincronia com as vendas, procurando manter no estoque os produtos em quantidades suficientes para atender às vendas do período compreendido entre o pedido e a chegada da mercadoria, com as necessárias margens de segurança. O nível de estoque deve possibilitar o atendimento da demanda, reduzindo-se as sobras. O controle do estoque de mercadorias também inclui as seguintes rotinas operacionais:
- Recebimento e registro das mercadorias compradas, no controle de estoque da loja;
- Conferência das mercadorias com a nota fiscal do fornecedor;
- Controle físico das mercadorias.
 
Gestão administrativo-financeira
A gestão administrativa financeira inclui:
- Controle sobre as vendas / faturamento;
- Controle de caixa (incluindo controle de cheque pré-datado; controle de conta bancária / extratos e saldos conciliados com o banco);
- Controle de contas a receber e cobrança;
- Controle das contas a pagar aos fornecedores;
- Relacionamento com o escritório de contabilidade, bancos etc.;
- Gestão de recursos humanos (admissão, rescisão, treinamento, pagamento de funcionários).

Automação

O mercado oferece diversos softwares (pacotes) que auxiliam o empreendedor na gestão de sua loja de roupas e acessórios para surfistas - existem aplicações integradas com emissão de cupom fiscal,  controle vendas, estoque, contas a pagar e receber etc., próprios para o comércio varejista. Existem opções grátis e pagas. Dentre estas opções destacamos:
- Loja de Roupa (http://www.lojaderoupa.com.br) Pode controlar desde os fornecedores, clientes, produtos em estoque, vendas, contas a receber e contas a pagar, tudo de forma automatizada e rápida, por ser um software bem simples de operar. O forte deste software é que ele é totalmente intuitivo, projetado justamente para clientes que não trabalham com informática, e sim com outros ramos comerciais, mas que mesmo sem dominar bem um computador, precisam de um programa para controlar os passos da empresa.
- Storecare (http://www.storecare.com.br)
- Software Integrado Lojas Confecção 1.0.33
Programa auto explicativo, com a flexibilidade de ajuste de acordo com as necessidades do cliente. (http://www.baixaki.com.br/download/softw?)

Antes de se decidir pelo sistema a ser utilizado, o empreendedor deve avaliar o preço cobrado, o serviço de manutenção, a conformidade em relação à legislação fiscal municipal e estadual, a facilidade de suporte e as atualizações oferecidas pelo fornecedor, verificando ainda se o aplicativo possui funcionalidades, tais como:
- Controle dos dados sobre faturamento/vendas, gestão de caixa e bancos (conta corrente);
- Controle de estoque de mercadorias;
- Relatórios e gráficos gerenciais (Curva ABC).
- Organização de compras e contas a pagar;
- Emissão de pedidos;
- Dentre outras funcionalidades.

Canal de Distribuição

O próprio ponto de venda é o principal canal de distribuição. Existem lojistas do segmento que também mantêm loja virtual na internet, onde comercializam seus produtos, com a entrega física via Correios / Courries e a liquidação financeira da transação, feita através de cartão de crédito ou boleto bancário.

Investimentos

O valor necessário para investimento na instalação de uma loja de roupas e acessórios para surfistas irá variar muito de acordo com o porte do empreendimento, estoque inicial e gastos associados ao contrato e decoração adaptação do imóvel utilizado. Por esta razão sugerimos a elaboração de um Plano de Negócio, onde os recursos necessários em função dos objetivos estabelecidos de retorno e alcance de mercado poderão ser determinados. (vide modelo disponível em: http://www.sebrae.com.br/momento/quero-abrir-um-negocio/integra_bia? ident_unico=1440).
Estimamos que a montagem de uma pequena loja do ramo, instalada  em um imóvel de cerca de 50m?2; requeira um investimento inicial de cerca de R$ 90 mil (não inclui valor de aquisição do ponto ou luvas comercial). Abaixo elaboramos um pequeno orçamento de investimento, para uma simples referência do empreendedor:
Item            &nbs p;                           &n bsp;            &nbs p;       Valor estimado em R$
Abertura da empresa.................................       2.400,00
Aparelho Com. Multifuncional .................       1.500,00
Decoração ..................................................  &nb sp;  10.000,00
Equipamentos diversos (Araras, Armários,
Balcão de atendimento, Manequins,
Prateleiras diversas, etc.) ........................       4.0 00,00
Estoque inicial ...........................................       40.000,00
Hardware Sistema de Automação .........         5.500,00
Luminoso e fachada  ................................      ;   2.000,00
Marketing inicial ..........................................    & nbsp;  2.000,00
Mesas e cadeiras ......................................    &nbs p;  1.500,00
Móveis e utensílios de escritório ............       1.200,00
Reformas e adaptação do imóvel ..........       9.000,00
Sistema de som e imagem ....................        5.000,00
Sistema de ventilação da loja  ...............        3.500,00
Software Sistema de Automação ..........        1.500,00
TOTAL            &nb sp;              ;             & nbsp;            &nb sp;           90.000,00
 

Capital de Giro

Custos

São todos os gastos realizados na produção de um bem ou serviço e que serão incorporados posteriormente ao preço dos produtos ou serviços prestados, como: aluguel, luz, salários, honorários profissionais, despesas de vendas, matéria-prima e insumos consumidos no processo de produção / prestação do serviço.

Em geral, os gastos mensais de operação de uma loja de roupas e acessórios para surfistas podem ser estimados dentro de dois grupos principais:

Gastos Fixos
São os gastos que independem do volume de produtos vendidos e são incorridos mesmo que nenhum item seja vendido pela loja.
- água, luz, telefone e acesso à Internet - R$ 550,00;
- aluguel e taxas ? R$ 1.200,00;
- assessoria contábil ? R$ 510,00;
- Licença de uso de softwares e manutenção ? R$ 800,00
- propaganda e publicidade da empresa ? R$ 200,00
- recursos para manutenções corretivas ? R$ 200,00
- salários e encargos ? R$ 3.000,00.

Variáveis
São os gastos que irão variar conforme o volume de vendas. Isto é, quanto mais produtos vendidos maiores são estes gastos e vice versa.
- Compra de Mercadorias para Revenda ? R$ 18.500,00
- Comissões de vendedores - R$ 360,00
- Embalagens ? R$ 300,00
- Tarifa Administradora Cartões de Crédito ? R$ 350,00;
- Impostos e contribuições sobre o lucro e faturamento  ? R$ 1.500,00.
 

Como agregar valor

Agregar valor significa oferecer produtos e serviços complementares ao produto principal, diferenciando-se da concorrência e atraindo o público-alvo. Não basta possuir algo que os produtos concorrentes não oferecem. É necessário que esse algo mais seja reconhecido pelo cliente como uma vantagem competitiva e aumente o seu nível de satisfação com o produto ou serviço prestado.
 
As pesquisas de mercado podem ajudar na identificação de benefícios de valor agregado. No caso de uma loja de roupas e acessórios para surfe, as oportunidades de diferenciação mais comuns são:
? Criação de programas de fidelidade para os clientes mais assíduos;
? Ampliação de linhas de produtos, como artigos para kitesurf e skates;
? Oferta de serviços turísticos de excursões e passeios ecológicos;
? Instalação de serviços de suporte técnico e pequenos reparos em pranchas e velas;
? Representação autorizada de fabricantes de produtos da linha surfwear.

Divulgação

O lojista do segmento de roupas e acessórios de surfe, assim como outros empresários varejistas, tem à sua disposição uma variedade de ferramentas do mix de comunicação, úteis para captar clientes, alavancar e incrementar vendas, gerar tráfego de pessoas no interior da sua loja, agregar valor à marca e estimular as decisões de compra do consumidor. Ele pode fazer campanha institucional, de promoção de vendas, liquidações, emissão de cupons de descontos etc. O estilo das promoções, o conteúdo dos anúncios e a definição da mídia mais adequada (levando em consideração a natureza do negócio), características do público-alvo, orçamento disponível e metas que se deseja atingir deve cumprir os objetivos de posicionamento e imagem da loja.  
Alguns veículos são mais utilizados pelo segmento, dentre eles: embalagens personalizadas com a marca da loja, catálogo, encarte e inserções publicitárias em jornais de bairro, revistas de surfe especializadas, rádio etc. A propaganda direcionada ao consumidor deste segmento deve ser clara, lúdica e fiel ao estilo de vida associado ao esporte.
 
Muitas lojas e fabricantes do segmento utilizam os campeonatos de skate, kitesurf e surfe, principalmente, para divulgarem suas marcas, sejam patrocinando o próprio evento ou os atletas participantes, com o oferecimento de prêmios, passagens, pranchas, roupas de neopreno personalizadas etc.
 
Indica-se a criação de site próprio e de perfis em redes sociais.

Informaçes Legais

Eventos

SURF & BEACH SHOW
Feira Internacional de Surfwear e Beachwear
BEACH & BIKINI FASHION SHOW - Feira Internacional do Biquíni
STREET & SKATE SHOW - Feira Internacional de Moda de Rua Surf & Beach Tex Preview
Feira da Indústria Têxtil para o Surfwear e Beachwear
Local: Centro de Exposições Imigrantes
São Paulo - SP
http://waves.terra.com.br
fone/fax: (11) 3884-4544
Email: atendimentofeiras@waves.com.br< br /> Web Site: www.surfbeach.com.br

FestivAlma Surf
Locais: Rio de Janeiro e São Paulo.
Website: http://www.almasurf.com/festivalma/


Campeonatos de Surfe
 
CBS
http://www.cbsurf.com.br/Instituci onal
 
Supersurf
http://www.abrasp.com.br/posts/ supersurf/
 
ISA Surfing Games
http://www.isasurf.org
 
WCT
http://www.aspworldtour.com

Entidades

ABIT ? Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção.
http://www.abit.org.br
 
ABRASP ? Associação Brasileira de Surf Profissional
http://www.abrasp.com.br
 
ABRAVEST ? Associação Brasileira do Vestuário.
http://www.abravest.org.br

CBS ? Confederação Brasileira de Surf
http://www.cbsurf.com.br/Instituci onal
 
IBRASURF ? Instituto Brasileiro de Desenvolvimento do Surf
http://www.ibrasurf.com.br
 
SENAC - Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial
http://www.senac.br/

 

Normas Técnicas

Não existem normas técnicas aplicáveis ao segmento de comércio varejista de roupas e acessórios para surfe.

Glossário

Colete ? Roupa de borracha neoprane utilizada para proteger o tórax e aquecer o peito dos surfistas nos dias mais frios.
 
Cordinha, leash ou strep - Corda utilizada para prender a prancha ao pé do surfista, evitando que a prancha vá para a areia da praia quando o surfista cai da onda.
 
Kitesurf - Tipo de surfe praticado com uma pequena prancha e uma vela em forma de pára-quedas, preso a cintura do atleta através de uma cinta.
 
Longboard ? Modalidade de surfe que é praticado com pranchas com tamanho acima de 9.5?, permitindo um surfe mais clássico. Essas pranchas, também chamadas de longboards, possuem apenas uma quilha, uma área de meio em torno de 22,5? (cerca de 60 cm), bico bem largo e bordas bem arredondadas. Conhecida também como pranchão, é ideal para ondas de 0,5 a 1 metro. Até a década de 70 eram as mais usadas. Hoje são as preferidas dos surfistas mais antigos e também indicadas para os iniciantes.
 
Quilha ? Estrutura de fibra de vidro ou madeira revestida de fibra, em forma de barbatana de peixe, posicionada no fundo e próxima a ?rabeta? da prancha, que proporciona maior segurança nas decidas ( drop). Tem o papel de direcionar a prancha na onda, diminuir a instabilidade e permitir manobras. Em geral as pranchas são monoquilha, biquilha ou triquilas.
 
Rack - Do inglês, significa suporte. Serve para transportar ou apoiar a prancha de surfe no carro ou na parede.
 
Surfwear ? Loja que vende roupas e acessórios de surfe.
 
Swell ? O mesmo que ondulação.
 
Tubo - Manobra em que o surfista fica envolvido pela onda¸ desaparecendo no meio de um "túnel". É a mais clássica do surfe.

Dicas de Negócio

Abaixo algumas dicas para quem deseja empreender no segmento varejista de roupas e acessórios para surfe:
 
- A gestão do estoque de mercadorias exige muitos cuidados, desde a definição do mix a sua reposição e salvaguarda. Procure trabalhar com uma quantidade de itens e fornecedores equilibrada adequada as suas necessidades.
 
- A montagem das coleções é capaz de gerar lucros e agregar valor a Marca/Empresa, por isso tenha cuidado na sua elaboração, procure estabelecer parâmetros que as  compras / mix de produtos devem seguir adequado ao público-alvo. Faça uma subdivisão por categorias dos produtos comercializados (feminino, masculino, acessórios, etc.) e estabeleça objetivos para cada uma delas.

- Busque estabelecer parceiras com seus fornecedores. Esse tipo de relacionamento comercial traz um sem número de benefícios para as duas partes envolvidas. Um acordo firmado entre o lojista e fornecedores, por exemplo, pode garantir ao lojista prioridade de atendimento, mais dedicação, melhores prazos, descontos, acordos de publicidade, divulgação e até exclusividade na venda de uma determinada marca ou grife.
 
- Atenção especial deve ser dada à formação e manutenção do estoque nos períodos de maiores oscilações de vendas tais como os meses de verão, além de datas como Dia dos Namorados e Natal.

- Investir no bom atendimento ao cliente é essencial para quem pretende abrir uma loja. Este aspecto é extremamente importante, pois é crescente a exigência dos clientes. Além disso, oferecer aos clientes facilidades de pagamento, bons preços e uma boa variedade de mercadorias são ingredientes essenciais para o sucesso.
 
- Muito cuidado na concessão de crédito aos clientes, procure analisar a capacidade de pagamento do cliente e a sua de concedê-lo, sem impactar no seu fluxo de caixa ou disponibilidade de recursos.

Caracteristicas

Não é necessário ser surfista para abrir uma loja de surfwear, mas é recomendável que o empresário e seus colaboradores conheçam o jargão do esporte, que possui termos próprios para manobras, pranchas, condições do mar, acessórios etc., tendo um bom conhecimento sobre o produto com o qual pretende trabalhar.
 
Além das características acima, o candidato a proprietário de da loja de roupas e acessórios para surfe deve buscar se enquadrar nas características do empreendedor, as quais estão citadas a seguir:
 
- Capacidade de assumir riscos (calculados) ? isto quer dizer, não ter medo de desafios, arriscar conscientemente. Calcular com detalhes (PLANO DE NEGÓCIOS) as chances de o empreendimento ser um sucesso.
 
- Senso de oportunidade ? enxergar oportunidade, aonde outras pessoas só vêm ameaças. Aprender com os erros dos outros empresários, evitando assim perdas de tempo e dinheiro.
 
- Conhecimento do ramo ? conhecer muito bem o ramo que escolheu. Preferencialmente que trabalhe no mesmo ou tenha trabalhado. Caso não seja possível, faça muitas pesquisas, muitas visitas aos concorrentes. Não economize neste quesito, pois mais tarde você será recompensado.
 
- Organização ? ser organizado, compreender que os resultados positivos virão em conseqüência da aplicação dos recursos disponíveis, conforme o planejamento do empreendimento. Não permitir desvios exagerados em relação ao planejado. Caso identifiquem falhas no percurso, busque a correção com muita rapidez.
 
- Iniciativa e disposição ? ser pró-ativo, buscar novidades para seu negócio, dar sempre o primeiro passo, não esperar pelos outros. Pesquisar novos caminhos, estar sempre atento com as novidades do mercado, de uma forma geral.
 
- Liderança ? ser uma pessoa que todos gostem de trabalhar com você em função de seu espírito de liderança; respeitando a cada um, trazendo todos os funcionários ao seu lado e nunca abaixo de você. Faça um trabalho de equipe; delegue autoridade, mas acompanhe. Defina metas e cobre com responsabilidade.
 
- Otimista e auto motivado (sempre) ? não importa o tamanho dos problemas que enfrentará no andamento de seu empreendimento. O que importa é que todos os dias o empreendedor precisa buscar dentro de si motivos para estar sempre motivado, pois agindo assim, sua equipe nunca esmorecerá e a vitória virá com certeza.
 
É certo que será muito difícil encontrar todas essa características em uma única pessoa. Caso você consiga se identificar com pelo menos 50% delas, que ótimo. Comece agora mesmo a trabalhar para buscar um incremento neste percentual, você é capaz, busque ajuda, procure os órgãos como o SEBRAE, leia, estude, só depende de você, acredite!

Bibliografia

ECR BRASIL. Sortimento. Disponível em http://www.ecrbrasil.com.br/ecrbrasil/downloads/Sortimento_Final_web.pdf. Acesso em 15 maio 2012.

LAS CASAS. A.L., BARBOZA. V. A. Estratégias de Marketing para Varejo. Disponível em http://www.novateceditora.com.br/livros/estmark/capitulo9788575221341.pdf. Acesso em 10 maio 2012.

ROSA, Cláudio Afrânio. Como elaborar um plano de negócio. Brasília: SEBRAE, 2007. Disponível em: < http://www.biblioteca.sebrae.com.br/bds/bds.nsf/797 332C6209B4B1283257368006FF4BA/$File/NT000361B2.pdf. Acesso em: 20 maio 2012.

SBRT. Confecção e moda surfwear, beachwear e streetwear: Dossiê Técnico. Disponível http://www.sbrt.ibict.br/acessoDT/3 22. Acesso em 20 maio 2012.

SEBRAE. Gestão do Visual de Loja. Disponível em http://arquivos.iea.org.br/sebrae_sc/varejofacil/pdf/varej o_facil_gestao_do_visual_de_loja.pdf. Acesso em 12 maio 2012.

SEBRAE. Ponto de Partida: Para Início de Negócio. Loja de Roupa. Disponível em http://www.bibliot eca.sebrae.com.br/bds/bds.nsf/d086c43daf01071b03256ebe004897a0/cb23d2e31383112c0 32572130051e8b1/$FILE/NT00033106.pdf. Acesso em 20 maio 2012.