sebraelogo

Armarinho

Lauri Tadeu Corrêa Martins

Apresentação

Aviso: Antes de conhecer este negócio, vale ressaltar que os tópicos a seguir não fazem parte de um Plano de Negócio e sim do perfil do ambiente no qual o empreendedor irá vislumbrar uma oportunidade de negócio como a descrita a seguir. O objetivo de todos os tópicos a seguir é desmistificar e dar uma visão geral de como um negócio se posiciona no mercado. Quais as variáveis que mais afetam este tipo de negócio? Como se comportam essas variáveis de mercado? Como levantar as informações necessárias para se tomar a iniciativa de empreender?
Os armarinhos estão incrustados em pontos estratégicos de alguns bairros e nos centros das cidades, vendendo miudezas diversas tais como linhas, botões, pedrarias, ornamentos, enfeites, tecidos, fios, artigos de papelaria, material para pintura e trabalhos manuais, bordados, tricô e crochê, até os mais diversos artigos para presentes e lembranças. Os armarinhos permanecem vivos oferecendo para os clientes mimos coloridos que depois figuram como coadjuvantes em roupas, fantasias, adereços e tudo aquilo que a criatividade permitir.
 
De acordo com o Sebrae MG, o armarinho é um ramo de atividade basicamente simples, contudo detém uma grande variedade de produtos, uma grande parte miudezas, necessitando assim de muita organização, atenção e principalmente experiência do proprietário no ramo. O candidato a empresário deste ramo deverá buscar experiência junto a outras lojas, cursos e revistas que possam lhe passar o maior número de informações possível. Assim é mais fácil definir a linha que se irá seguir e o público que se irá atingir tornando as chances de sucesso muito maior.
 
Com a manufatura em massa de roupas prontas o armarinho diminuiu a sua importância, mas ainda é um negócio que resiste ao tempo, pela sua tradição e por ser uma espécie de loja ?quebra-galho?, encontrada tanto nos bairros quanto em centros comerciais.
 
Nesta "Idéia de Negócio" serão apresentadas informações importantes para o empreendedor que tem intenção de abrir um armarinho. Entretanto, este documento não substitui o Plano de Negócios, que é imprescindível para iniciar um empreendimento com alta probabilidade de sucesso. Para a elaboração do Plano de Negócio, deve ser consultado o SEBRAE mais próximo.

Mercado

Segundo a revista Pequenas Empresas Grandes Negócios, 60% (sessenta por cento) dos clientes gastam até R$ 2,00 (dois reais) em cada compra. No inverno as vendas aumentam, chegando a 70% (setenta por cento) de acréscimo, pois é o período em que as pessoas ficam mais em casa e fazem trabalhos como tricô e bordados.
 
A sazonalidade é uma caracterísica marcante dos armarinhos, que têm por hábito comercializar artigos direcionados para determinadas datas festivas. Então, é possível vê-los repletos de máscaras no Carnaval, fitas coloridas no São João e guirlandas no Natal. São nessas festividades que os comerciantes conseguem incrementar o faturamento.
 
As mercadorias oferecidas nos armarinhos têm público certo em todo o país, porém existem oportunidades em determinadas localidades ou regiões que só são detectadas por bons empreendedores, que percebem a oportunidade e não a deixam escapar.
 
Conhecer e caracterizar quem são seus futuros clientes, o que eles compram e por que eles compram, como são feitas as compras, quando eles compram e as tendências de compra deles, é essencial ao sucesso de seu negócio. A maioria das empresas bem sucedidas está constantemente em mudanças, oferecendo oportunidades e apresentando ameaças.
 
Conhecer e analisar os consumidores, concorrentes, fornecedores, e o ambiente macroeconômico, é muito importante para revisar e se adaptar aos novos desafios e oportunidades do mercado. Uma visão de fora para dentro em seu futuro negócio e uma analise do próprio mercado em que você vai entrar, é um instrumento estratégico para seus objetivos.
Sua empresa precisa identificar os segmentos de mercado específicos que você deseja conquistar. Analisar o potencial do mercado onde será iniciado seu negócio é muito importante, nessa análise pode-se verificar a renda, idade, classe social dos futuros consumidores.
 
É importante lembrar que os armarinhos enfrentam a concorrência dos grandes supermercados, das papelarias e da indústria de confecções, além dos camelôs e comércios de rua. Os principais clientes são as costureiras, os artesãos, pequenas confecções, e o público em geral.

Localização

A escolha do local e do espaço físico necessário para instalar seu negócio é uma decisão muito importante para o sucesso do empreendimento. O local deve oferecer infra-estrutura adequada e condições que propiciem o seu desenvolvimento. É fundamental avaliar a facilidade do acesso a partir do perfil de sua clientela.
 
A localização do armarinho é fator muito importante para o negócio. A loja deve estar localizada em ruas de grande fluxo de pessoas e veículos, como grandes avenidas e cruzamentos, para onde fluem pessoas de diversas regiões da cidade. É necessário identificar os "pólos geradores de público", geralmente formados por
supermercados, hipermercados, agências bancárias, instituições de serviço público municipal, estadual e federal, terminais de ônibus e/ou metrô, parques, clubes, hospitais, maternidades e outros que podem ser identificados na região.
 
Conveniência e acesso fácil são fatores fundamentais para que o consumidor escolha uma loja. A proximidade com pool de lojas que atraem grande fluxo de clientes, indústrias de confecções e profissionais da área de costura, tricô e crochê, poderá ser um forte fator para o sucesso do empreendimento. Outro aspecto fundamental é a visibilidade, ou seja, os clientes ao se movimentarem em uma avenida devem identificar facilmente a loja.

Exigências

Para dar início ao processo de abertura da empresa é necessário que se cumpra os seguintes procedimentos:
 
1)Consulta Comercial
Antes de realizar qualquer procedimento para abertura de uma empresa deve-se realizar uma consulta prévia na prefeitura ou administração local. A consulta tem por objetivo verificar se no local escolhido para a abertura da empresa é permitido o funcionamento da atividade que se deseja empreender. Outro aspecto que precisa ser pesquisado é o endereço. Em algumas cidades, o endereço registrado na prefeitura é diferente do endereço que todos conhecem. Neste caso, é necessário o endereço correto, de acordo com o da prefeitura, para registrar o contrato social, sob pena de ter de refazê-lo.
Órgão responsável:
·          Prefeitura Municipal;
·          Secretaria Municipal de Urbanismo.
2) Busca de nome e marca
Verificar se existe alguma empresa registrada com o nome pretendido e a marca que será utilizada.
Órgão responsável:
·         Junta Comercial ou Cartório (no caso de Sociedade Simples) e Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI).
3) Arquivamento do contrato social/Declaração de Empresa Individual
Este passo consiste no registro do contrato social. Verifica-se também, os antecedentes dos sócios ou empresários junto a Receita Federal, por meio de pesquisas do CPF.
Órgão responsável:
·         Junta Comercial ou Cartório (no caso de Sociedade Simples.
4) Solicitação do CNPJ
Órgão responsável:
·         Receita Federal.
5) Solicitação da Inscrição Estadual
Órgão responsável:
·         Receita Estadual
 
6) Alvará de licença e Registro na Secretaria Municipal de Fazenda
O Alvará de licença é o documento que fornece o consentimento para empresa desenvolver as atividades no local pretendido. Para conceder o alvará de funcionamento a prefeitura ou administração municipal solicitará que a vigilância sanitária faça inspeção no local para averiguar se está em conformidade com a Resolução RDC nº 216/MS/ANVISA, de 16/09/2004.
Órgão responsável:
·          Prefeitura ou Administração Municipal;
·          Secretaria Municipal da Fazenda.
7) Matrícula no INSS
Órgão responsável:  Instituto Nacional de Seguridade Social; Divisão de Matrículas ? INSS
Além de todos esses procedimentos, é muito importante lembrar que essa atividade exige o conhecimento do Código de Defesa do Consumidor- Lei nº. 8.078/1990.
 
As empresas que fornecem serviços e produtos no mercado de consumo devem observar as regras de proteção ao consumidor, estabelecidas pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC). O CDC foi instituído pela Lei n. 8.078, em 11 de setembro de 1990, com o objetivo de regular a relação de consumo em todo o território brasileiro, na busca do reequilíbrio na relação entre consumidor e fornecedor, seja reforçando a posição do primeiro, seja limitando certas práticas abusivas impostas pelo segundo.
 
É importante que o empreendedor saiba que o CDC somente se aplica às operações comerciais em que estiver presente a relação de consumo, isto é, nos casos em que uma pessoa (física ou jurídica) adquire produtos ou serviços como destinatário final.
 
A fim de cumprir as metas definidas pelo CDC, o empreendedor deverá conhecer bem algumas regras que sua empresa deverá atender, tais como: forma adequada de oferta e exposição dos produtos destinados à venda, fornecimento de orçamento prévio dos serviços a serem prestados, cláusulas contratuais consideradas abusivas, responsabilidade dos defeitos ou vícios dos produtos e serviços, os prazos mínimos de garantia, cautelas ao fazer cobranças de dívidas.

Estrutura

A estrutura de uma loja de armarinho é bastante simples, composta basicamente por um balcão para atendimento dos pedidos, serviço de caixa, área para acesso e circulação de clientes, espaço para exposição dos itens a serem  comercializados, onde os produtos devem ser bem expostos e em harmonia com o ambiente, além de um pequeno escritório para administração.
Entretanto, é importante também considerar o perfil do cliente que será alvo do negócio e a linha de produtos que será colocada à venda para definir o tamanho da loja e as instalações. O empreendedor poderá agregar o serviço de pequenos consertos, instalando-o juntamente com a loja ou fazendo parceria com costureiros já estabelecidos. É aconselhável dispor de estacionamento. Se não houverdisponibilidade permanente de vagas públicas nas proximidades será necessário realizar convênio com estacionamento próximo.
 
Nessa perspectiva, o empreendedor pode começar com uma pequena loja de 40m?2;, mas áreas maiores facilitam a organização e permitem planos de expansão. A área pode ser dividida em dois ambientes, a entrada - onde é interessante que sejam colocadas vitrines nas laterais, e o interior - onde deve ficar os balcões, na frente das prateleiras. Tanto nos balcões como nas prateleiras os artigos devem ficar expostos para serem muito bem vistos pelos clientes. O arranjo físico da loja (prateleiras e vitrines) deve ser feito levando em consideração o fluxo de clientes inseridos no processo de vendas.
 
Mas como em qualquer outro empreendimento, os departamentos deverão ser separados da melhor forma para que seja possível conseguir a maior produtividade possível de cada colaborador. Além disso, a loja deverá causar uma boa impressão a todos que a visitam. Para que tudo funcione adequadamente é necessário um layout despojado, atraente e funcional.

Pessoal

Selecionar as pessoas que irão trabalhar na sua empresa, exige que considere cuidadosamente as habilidades específicas exigidas para cada tipo de atividade que desenvolverão. Na linha de vendas, por exemplo, é fundamental empregar mão-de-obra qualificada. Além do mais, apesar da facilidade em encontrar bons vendedores, nunca é demais fazer uma reciclagem usando as diversas opções de treinamento.
 
Um campeão de vendas, saber ouvir, tem boa vontade, é persistente e flexível, criativo, ágil, prestativo e que tem iniciativa. Essas características podem ser desenvolvidas através de treinamentos periódicos, lembrando que não só os funcionários e gerentes devem ser treinados, mas também, o dono do empreendimento deve sempre se atualizar para se manter competitivo no mercado.
 
O quadro de funcionários de um armarinho irá variar de acordo com o tamanho do empreendimento. Para um empreendimento de pequeno porte, pode-se começar com três empregados para o atendimento e manutenção dos estoques.
 
O negócio de armarinho é altamente influenciado pela variação climática, pelas datas comemorativas como carnaval, dia das mães, dia dos pais, dia das crianças e natal. Essas datas proporcionam um fluxo maior de clientes e exigem a contratação temporária de novos atendentes. A atividade de caixa pode ser executada pelo empresário ou por um dos atendentes.
 
Caso o empresário faça a opção por oferecer serviços de pequenos consertos em vestuário deverá contratar uma costureira, ou terceirizar esta atividade para profissionais contratados por produção.
 
O empresário deve contratar pessoas com experiência comprovada e com boas referências de empregos anteriores. Caso prefira capacitar novos colaboradores, deverá procurar cursos específicos existentes no mercado, que preparem as pessoas para lidar com bordados, linhas, purpurinas, lãs, agulhas, tricô, crochê, ponto de linha, etc. O atendimento personalizado e qualificado é um item que merece a maior preocupação do empresário, visando manter e fidelizar a clientela.
 
O empreendedor deve estar atento para a Convenção Coletiva do Sindicato dos Trabalhadores no Comércio, utilizando-a como balizadora dos salários e orientadora das relações trabalhistas, evitando, assim, conseqüências desagradáveis. O Sebrae da localidade poderá ser consultado para aprofundar as orientações sobre o perfil do pessoal e treinamentos adequados.

Equipamentos

Para montar um armarinho são necessários os seguintes móveis e equipamentos:
 
- um microcomputador completo;
- uma impressora;
- linha telefônica;
- uma impressora de cupom fiscal;
- mesas, cadeiras, armários, de acordo com o dimensionamento das instalações;
- gaveteiro para guardar dinheiro, cheques e tickets de cartões de débito e crédito;
- equipamento para recebimento através de cartões de débito e crédito;
- estantes, prateleiras e vitrines para exposição dos produtos;
- balcão;
- móvel grande com gavetas para miudezas em geral;
- itens para escritório.

Matéria Prima

A gestão de estoques no varejo é a procura do constante equilíbrio entre a oferta e a demanda. Este equilíbrio deve ser sistematicamente aferido através de, entre outros, os seguintes três importantes indicadores de desempenho:
Giro dos estoques: o giro dos estoques é um indicador do número de vezes em que o capital investido em estoques é recuperado através das vendas. Usualmente é medido em base anual e tem a característica de representar o que aconteceu no passado.
Obs.: Quanto maior for a freqüência de entregas dos fornecedores, logicamente em menores lotes, maior será o índice de giro dos estoques, também chamado de índice de rotação de estoques. Cobertura dos estoques: o índice de cobertura dos estoques é a indicação do período de tempo que o estoque, em determinado momento, consegue cobrir as vendas futuras, sem que haja suprimento. Nível de serviço ao cliente: o indicador de nível de serviço ao cliente para o ambiente do varejo de pronta entrega, isto é, aquele segmento de negócio em que o cliente quer receber a mercadoria, ou serviço, imediatamente após a escolha; demonstra o número de oportunidades de venda que podem ter sido perdidas, pelo fato de não existir a mercadoria em estoque ou não se poder executar o serviço com prontidão.
Portanto, o estoque dos produtos deve ser mínimo, visando gerar o menor impacto na alocação de capital de giro. O estoque mínimo deve ser calculado levando-se em conta o número de dias entre o pedido de compra e a entrega dos produtos na sede da empresa.
As mercadorias são diversificadas e compõem-se de diversos artigos dentre os quais podem assinalar: zíperes, linhas diversas, agulhas, lãs em novelo, alfinetes, tesouras, meias, purpurinas, viés, travas, fivelas, cintos, fitas, botões, elásticos, rendas, produtos auxiliares para cozinha, lavanderia, banheiro e uma infinidade de outros componentes.
 
Para a definição do mix de produtos a ser oferecido ao mercado, o empresário deverá visitar lojas estabelecidas, ouvir permanentemente seus clientes e ir fazendo adaptações ao longo do tempo.

Processos Produtivos

Como todo comércio o processo produtivo envolve compras de produtos selecionados de boa qualidade, vendas por meio de atendimento especializado, dimensionamento do estoque e controles financeiros.
 
A seleção de bons fornecedores de matérias-primas é fundamental para o sucesso do empreendimento. É necessária a criação e manutenção de um cadastro. A atividade comercial necessita de profissionais de venda que apresentem e orientem a compra dos clientes, buscando dentre as alternativas existentes no estoque aquele que atenderá às necessidades de um público cada vez mais exigente.
 
A partir da venda surgem outros controles (contas a receber, vendas, estoque, etc.) que possibilitam ao empreendedor tomar decisões acertadas na gestão do negócio.
 
O empreendedor deve ter em mente que a reposição ou diversificação nos produtos ofertados garantem o retorno do cliente. É certo que preços competitivos e ambiente propício são fatores de atração e somados ao atendimento diferenciado e variedade de produtos podem transformar o seu negócio em sucesso empresarial.
 
Desta forma, de uma maneira geral, os processos de uma loja de armarinhos são divididos em:
 
Exposição dos produtos ? Representado por prateleiras e vitrines. Deve ter boa visibilidade. Para lojas de maior porte pode ser adotada a prática de Self Service, através de gôndolas e prateleiras externas ao balcão, porém, esse modelo deve considerar que uma loja dessa natureza trabalha com miudezas, facilitando o furto de mercadorias.
 
Balcão de Atendimento ? Local onde os clientes farão seus pedidos e serão atendidos. A entrega dos produtos adquiridos poderá ocorrer em área destinada para esse fim, nas proximidades do Caixa.
 
Caixa ? Espaço destinado ao recebimento do valor das vendas.
 
Serviços de pequenos consertos ? o serviço de pequenos consertos é realizado em área separada do atendimento ao cliente, através de costureiras. Pode ser terceirizado, o que evita o investimento em instalações e equipamentos. Em contrapartida irá exigir um controle mais efetivo para que o atendimento ao cliente se dê nos prazos contratados.
 
Administração ? pequeno espaço destinado às atividades de compra e relacionamento com fornecedores, controle de estoques, controles de contas a pagar, atividades de recursos humanos, controles financeiros e de contas bancárias, acompanhamento do desempenho do negócio e outras que o empreendedor julgar necessárias para o bom andamento do empreendimento.

Automação

Uma tendência cada vez mais presente nas empresas que buscam o sucesso é automatizar as diversas atividades desenvolvidas. A automação melhora o dinamismo dos serviços oferecidos, reduzindo filas, tempo de espera, agilizando a emissão de notas fiscais, entre outros. Existem muitas opções que possibilitam essa facilidade: caixas eletrônicas isoladas ou integradas, impressoras para preenchimento automático de cheques, impressoras de notas fiscais nos caixas, código de barras nos produtos, banco de dados sobre cada produto ou serviço e cadastro de clientes (Sebrae Mato Grosso do Sul: idéia de negócios- loja de calçados).
 
Para uma pequena loja deve-se procurar softwares de custo acessível e compatível com o porte do negócio.É muito difícil administrar esse tipo de loja sem controle de estoque, uma vez que o número de itens é enorme.
 
Atualmente, existem diversos sistemas informatizados que podem auxiliar o empreendedor na gestão de uma pequena empresa (vide http://www.baixaki.com.br ou http://www.superdownloads.com.br). Seguem algumas opções:
  • Automatiza Financeiro.
  • Sistema CRGNET.
  • Financeiro.
  • Orçamento Empresarial.
  • SIC ? Sistema Integrado Comercial.
  • PDV Empresarial Professional.
  • Sintec-pro.
  • InstantCashBook.
  • Direct Control Standard.
  • Desktop Sales Manager.
  • SGCON ? Sistema Gerencial Contábil.
  • Advanced Accounting Powered by CAS.
  • Contact your Client Professional.
  • JFinanças Empresa.
  • GPI ? Gerenciador Pessoal Integrado.
  • SGI ? Sistema Gerencial Integrado.
  • MaxControl.
  • Apexico VAT-Books.
  • Yosemite Backup Standard.
  • ERP Lite Free.
  • II Worklog.
  • Business Reports
  • Fortuna 6.0
  • Terrasoft CRM.
  • Plano de Contas Gerencial.
  • Spk Business.
  • Controle de estoques.
  • Magic Cash.

Canal de Distribuição

Os canais de distribuição são os meios utilizados pelas empresas para escoar sua produção e ofertar seus serviços. A importância dos canais de distribuição é fundamental e seu custo pode representar uma parcela considerável do preço final do produto vendido ao consumidor; os canais não só satisfazem a demanda através de produtos e serviços no local, em quantidade, qualidade e preço corretos, mas, também, têm papel fundamental no estímulo à demanda, através das atividades promocionais dos componentes ou equipamentos atacadistas, varejistas, representantes ou outros.
O canal de distribuição do armarinho é a própria loja. Uma alternativa que está sendo bastante utilizada é a venda pela internet, trazendo comodidade para o cliente e a possibilidade de alteração constante dos produtos em exposição e o desenvolvimento de estratégias personalizadas. Nesses casos, o empreendedor deverá definir uma estratégia que possibilite o equilíbrio das margens de lucratividade, estabelecendo valores mínimos de pedidos que poderão ser entregues em domicílio.

Investimentos

Investimento consiste na aplicação de algum tipo de recurso esperando, um retorno superior aquele investido, em um determinado período de tempo. O investimento que deve ser feito em um empreendimento varia muito de acordo com seu porte.
Considerando uma loja de pequeno porte, voltada para venda no varejo, montada numa área de 40m?2;, será necessário um investimento de R$ 25.380,00 mil, aproximadamente, que deverá girar em torno dos seguintes itens abaixo:
 
  • Microcomputador completo: R$ 1.300,00
  • Impressora: R$ 600,00
  • Máquina de calcular portátil : R$ 30,00
  • Mesa : R$ 250,00
  • Cadeira : R$ 150,00
  • Fax : R$ 450,00
  • Telefone : R$ 100,00
  • Móveis, estantes, balcões, prateleiras, vitrines: R$ 2.500,00
  • Matéria-prima para revenda: R$ 20.000
 
Os valores acima relacionados são apenas uma referência para constituição de um empreendimento dessa natureza. Para dados mais detalhados é necessário saber exatamente quais produtos serão oferecidos pela loja e qual o seu porte. Nesse sentido, aconselhamos ao empreendedor interessado em constituir esse negócio, a realização de levantamento mais detalhado sobre os potenciais investimentos depois de elaborado seu plano de negócio (para elaboração do plano de negócio procure o Sebrae do seu estado).
Além disso, os valores acima irão variar conforme a região geográfica que a loja irá se instalar, da necessidade de reforma do imóvel, do tipo de mobiliário escolhido, etc.

Capital de Giro

Custos

São todos os gastos realizados na produção de um bem ou serviço e que serão incorporados posteriormente ao preço dos produtos ou serviços prestados, como: aluguel, água, luz, salários, honorários profissionais, despesas de vendas, matéria-prima e insumos consumidos no processo de produção.
O cuidado na administração e redução de todos os custos envolvidos na compra, produção e venda de produtos ou serviços que compõem o negócio, indica que o empreendedor poderá ter sucesso ou insucesso, na medida em que encarar como ponto fundamental à redução de desperdícios, a compra pelo melhor preço e o controle de todas as despesas internas. Quanto menores os custos, maior a chance de ganhar no resultado final do negócio.
Os custos fixos abrangem despesas de funcionamento da empresa: salários e encargos de administração, pró-labore, aluguéis, tarifas de água, luz, telefones, equipamentos e prestadores de serviço (contador, advogados, assessorias etc.). Os custos variáveis referem-se a: custo de materiais e suprimentos, dentre outros. Os custos não operacionais estão relacionados às despesas e/ou investimentos de ordem comercial, como publicidade e propaganda.  
 
A lista a seguir procura apresentar de forma simplificada os principais itens de custo mensal que devem ser contabilizados para um armarinho:
? Aluguel ? R$ 1000,00
? Luz, telefone, água e internet ? R$ 300,00
? Contador ? R$ 600,00
? Salários diretos (para 3 funcionários sem os encargos) ? R$ 1.500,00
? Despesas correntes ? R$ 200,00
? Outras despesas mensais com insumos e matérias-primas? R$ 4.500,00
? Pró-labore ? R$ 1.500,00
 
Custo total mensal médio para um armarinho de pequeno porte: R$ 9.600,00
Lembramos que estes custos são baseados em estimativas para uma empresa de pequeno porte. Aconselhamos ao empresário que queira abrir um negócio dessa natureza a elaboração de um plano de negócio com a ajuda do Sebrae do seu estado no sentido de estimar os custos exatos do seu empreendimento conforme o porte e os serviços oferecidos.

Como agregar valor

Agregar valor é dar um salto de qualidade em uma ou mais características do produto ou serviço, que de fato são relevantes para a escolha do consumidor. Não basta possuir algo que os produtos concorrentes não oferecem. É necessário que esse algo a mais seja reconhecido pelo cliente como uma vantagem competitiva e aumente o seu nível de satisfação com o produto ou serviço prestado. Além disso, para agregar valor, não basta reduzir custos, é preciso conhecer bem o mercado no qual a empresa atua, bem como as preferências dos clientes.
Linhas, agulhas, alfinetes e outros acessórios fazem parte do universo dos proprietários de armarinhos. Mas sobreviver com o tradicional em tempos modernos exige boa dose de criatividade dos empreendedores. Os próprios donos são unânimes em dizer que, para garantir lucratividade, é preciso agregar serviços ao negócio, seja ministrando cursos, disponibilizando produtos de outros setores e até mesmo promovendo vendas online. Os armarinhos passaram a oferecer serviços diferenciados como conserto de roupas e aulas de artesanato.
A diversificação se dá também pela grande variedade de itens do estoque com o objetivo de atender as mais diversas expectativas do cliente. A linha de produtos deverá ser planejada de acordo com as características da clientela e os seus hábitos de consumo.
 
O atendimento pessoal qualificado é um fator que agrega valor de alto significado para o cliente. É fundamental, na construção de relacionamento duradouro, conhecer quem são os clientes e entender suas reais expectativas e necessidades
É importante acompanhar os principais eventos de moda do país e oferecer, na loja, os acessórios de vestuário que estão sendo usados no momento.
 
É importante pesquisar junto aos concorrentes para conhecer os serviços que estão sendo adicionados e desenvolver opções específicas com o objetivo de proporcionar ao cliente um produto diferenciado.
 
Além disso, conversar com os clientes atuais para identificar suas expectativas é muito importante para o desenvolvimento de novos serviços ou produtos personalizados, o que amplia as possibilidades de fidelizar os atuais clientes, além de cativar novos.
 
Nas bancas de jornais e revistas são encontradas várias publicações relacionadas a esse setor, que dão ótimas dicas para o atendimento a este mercado, além de permitir ao empresário estar informado sobre as novidades que estarão sendo procuradas pela clientela. Ex: Revista Agulha de Ouro.
Neste tópico foram apresentadas apenas algumas opções de diversificação/ agregação de valor para um armarinho. Vale ressaltar que sempre é possível propor melhorias e novidades, para isso é indicado observar hábitos, ouvir as pessoas e criar novos produtos e novos serviços, com o objetivo de ampliar os níveis de satisfação dos clientes.

Divulgação

A propaganda é um importante instrumento para tornar a empresa e seus serviços conhecidos pelos clientes potenciais. O objetivo da propaganda é construir uma imagem positiva frente aos clientes e tornar conhecidos os serviços oferecidos pela empresa.
A propaganda pode ser feita utilizando os mais variados meios de comunicação como:
·         Mala Direta e e-mail informando sobre promoções e novidades;
·         Mídia especializada: Rádio, TV, Jornais e Revistas, Placas e Outdoors, Panfletos, Guias de Turismo, etc.
A mídia mais adequada é aquela que tem linguagem adequada ao público-alvo, se enquadra no orçamento do empresário e tem maior penetração e credibilidade junto ao cliente.
Os meios de divulgação para um armarinho variam de acordo com o porte e o público-alvo escolhido. Para um empreendimento de pequeno porte pode ser usada a distribuição de panfletos nas proximidades da loja. Outras alternativas são os anúncios em jornais de bairro e propaganda em rádio.
 
A maioria dos clientes de armarinho tem entre 35 e 60 anos de idade, por ser essa uma fase em que as pessoas valorizam mais a manutenção e conserto de roupas de maior qualidade e dispõe-se a produzir peças de bordados, tricô, crochê e outros trabalhos manuais.
 
Para se aproximar do consumidor uma boa opção é fazer parcerias com pessoas que mantém blogs na Internet, para a divulgação dos produtos que serão comercializados. A divulgação através de site na internet deve ser considerada, pois o acesso de pessoas à rede cresce permanentemente e em larga escala.
 
Na medida do interesse e das possibilidades, poderão ser utilizados anúncios em jornais de grande circulação, revistas e outdoor. Se for de interesse do empreendedor, um profissional de marketing e comunicação poderá ser contratado para desenvolver campanha específica.

Informaçes Legais

Eventos

Feira Internacional do Artesanato
Evento anual
http://www.finnar.com.br/
 
Feira Internacional de Artigos e Decoração de Natal
Realizada pela FRANCAL
http://www.feiranatalshow.com.br/2010/codigo/home.asp
 
Feira Brasileira para a Indústria Têxtil
Evento anual.
Local: Vila Germânica - Blumenau ? Santa Catarina-SC
(51) 3338-0800
www.febratex.com.br
 
Feira Internacional do Setor Infanto-Juvenil e Bebê
Evento anual
Local: Expo Center Norte - São Paulo-SP
(11) 3966-3022
www.fit016.com.br

Entidades

Relação de entidades para eventuais consultas:
 
Associação Brasileira do Vestuário - ABRAVEST
Rua Chico Pontes 1500, Mart Center, Vila Guilherme ? São Paulo?SP
CEP: 02067-002
(11) 6901-4333
www.abravest.org.br
 
Procurar na localidade:
Sindicato do comércio varejista de artigos de vestuário
 
Alguns Fornecedores/Fabricantes
Circulo S/A
Rua Dr. Nereu Ramos, ? Coloninha ? Gaspar-SC
CEP: 89110-000
vendas@circulo.com.br
(47) 333-19500 /0800-6482955
www.circulo.com.br
 
Michigan Botões Ltda
Rua Francisco Stinghen, sn ? Barra do Rio Cerro ? Jaraguá do Sul-SC
CEP: 89260-010
(47) 3370-7447 /
www.michigan.ind.br
 
Fios União
Rua Rio de Janeiro, 773 ? Belo Horizonte-MG
(31) 3273-6855
www.fiosuniao.com.br
 
Cia dos Botões
Rua da Graça, 510, Bom Retiro ? São Paulo-SP.
Cep: 01125-000
(11) 3361-7774
www.ciadosbotoes.com.br
 
Tudo em Armarinhos
0800-34-0100
www.tudoemarmarinhos.com.br
 
Obs: Uma pesquisa utilizando a internet indicará outros fornecedores de produtos para armarinhos, que poderão estar localizados mais próximos ao local de instalação do negócio.
 
 
Cursos
Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac)
http://www.senac.br/

Normas Técnicas

Norma técnica é um documento, estabelecido por consenso e aprovado por um organismo reconhecido que fornece para um uso comum e repetitivo regras, diretrizes ou características para atividades ou seus resultados, visando a obtenção de um grau ótimo de ordenação em um dado contexto. (ABNT NBR ISO/IEC Guia 2).

Participam da elaboração de uma norma técnica a sociedade, em geral, representada por: fabricantes, consumidores e organismos neutros (governo, instituto de pesquisa, universidade e pessoa física).

Toda norma técnica é publicada exclusivamente pela ABNT ? Associação Brasileira de Normas Técnicas, por ser o foro único de normalização do País.


1. Normas específicas para um Armarinho:

Não existem normas específicas para este negócio.


2. Normas aplicáveis na execução de um Armarinho:


ABNT NBR 15842:2010 - Qualidade de serviço para pequeno comércio ? Requisitos gerais.

Esta Norma estabelece os requisitos de qualidade para as atividades de venda e serviços adicionais nos estabelecimentos de pequeno comércio, que permitam satisfazer as expectativas do cliente.


ABNT NBR 12693:2010 ? Sistemas de proteção por extintores de incêndio.

Esta Norma estabelece os requisitos exigíveis para projeto, seleção e instalação de extintores de incêndio portáteis e sobre rodas, em edificações e áreas de risco, para combate a princípio de incêndio.


ABNT NBR 5410:2004 Versão Corrigida: 2008 - Instalações elétricas de baixa tensão.

Esta Norma estabelece as condições a que devem satisfazer as instalações elétricas de baixa tensão, a fim de garantir a segurança de pessoas e animais, o funcionamento adequado da instalação e a conservação dos bens.


ABNT NBR 5413:1992 Versão Corrigida:1992 - Iluminância de interiores.

Esta Norma estabelece os valores de iluminâncias médias mínimas em serviço para iluminação artificial em interiores, onde se realizem atividades de comércio, indústria, ensino, esporte e outras.

ABNT NBR 5419:2005 - Proteção de estruturas contra descargas atmosféricas.

Esta Norma fixa as condições de projeto, instalação e manutenção de sistemas de proteção contra descargas atmosféricas (SPDA), para proteger as edificações e estruturas definidas em 1.2 contra a incidência direta dos raios. A proteção se aplica também contra a incidência direta dos raios sobre os equipamentos e pessoas que se encontrem no interior destas edificações e estruturas ou no interior da proteção impostas pelo SPDA instalado.


ABNT NBR 5626:1998 - Instalação predial de água fria.

Esta Norma estabelece exigências e recomendações relativas ao projeto, execução e manutenção da instalação predial de água fria. As exigências e recomendações aqui estabelecidas emanam fundamentalmente do respeito aos princípios de bom desempenho da instalação e da garantia de potabilidade da água no caso de instalação de água potável.


ABNT NBR 9050:2004 Versão Corrigida: 2005 - Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos.

Esta Norma estabelece critérios e parâmetros técnicos a serem observados quando do projeto, construção, instalação e adaptação de edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos às condições de acessibilidade.


ABNT NBR IEC 60839-1-1:2010 - Sistemas de alarme - Parte 1: Requisitos gerais - Seção 1: Geral.

Esta Norma especifica os requisitos gerais para o projeto, instalação, comissionamento (controle após instalação), operação, ensaio de manutenção e registros de sistemas de alarme manual e automático empregados para a proteção de pessoas, de propriedade e do ambiente.
 

Glossário

Os termos desse glossário foram extraídos so site: http://www.sobre.com.pt/glossario-de-artesanato
- Acabamento - É a ultima camada de tinta, verniz ou cera aplicada em um trabalho, ou seja a finalização do trabalho.
- Adesão - Propriedade de uma tinta, ou qq matéria prima de se fixar á base onde são aplicados.
- Aguada - Uma camada de pintura feita com a tinta diluída, que matiza a pintura anterior, sem mudar ou esconder sua cor.
- Aguarrás - Solvente geralmente utilizado na lavagem dos pincéis. Também pode ser usada para diluir uma tinta na execução de determinadas técnicas.
- Aquarela - Tinta á base de água, pronta para o uso. Também é o nome da técnica e do trabalho desenvolvido com essa tinta.
- Base - É a demão que prepara a superfície a ser trabalhada. Geralmente se usa a base para artesanato, pois foi especialmente formulada para essa finalidade.
- Betume da Judéia - Líquido escuro e viscoso derivado do petróleo que é usado para técnicas de envelhecimento da peça. Pode ser aplicado diluído, ou ser misturado á cera. Diluente - Aguarrás.
- Biscuit - Biscuit são esculturas modeladas a partir de uma massa feita com amido de milho, cola, vaselina líquida, etc Com essa massa os artistas preparam adornos ou esculturas de todo tipo.
- Camada - Cada demão de tinta, verniz, ou massa.
- Carregar - Colocar muita tinta no pincel.
- Ceras - Utilizadas para proteger a superfície pintada da madeira, quando não se quer utilizar um verniz . Podem ser usadas as ceras caseiras, ceras para carros ou cera de carnaúba, desde que sejam em pasta e incolor..
- Círculo Cromático - É essencial conhecer as cores no que se refere ás misturas e combinações. Sabendo utilizar o círculo cromático, o artista consegue que um trabalho seja mais harmonizado nas cores, transmitindo suavidade, ou não; dependendo do objetivo que se quer atingir no artesanato.
- Cobertura - Capacidade de uma tinta em cobrir a camada anterior.
- Corantes - Servem para dar cor á tintas e vernizes. Podem ser líquidos ou em pó.
- Customização - Customizar é transformar, modificar, dar a nossa personalidade a uma peça de roupa ou acessório. Em todos os seguimentos pelo mundo afora , estão costumizando suas criações, rebordando, rasgando, esgarçando, bordando e reinventando.
- Demão - Cada camada de tinta ou verniz.
- Diluentes - Solventes líquidos usados para diluir tintas e vernizes.
- Diluição - Tornar a tinta mais líquida, usando o diluente (produto) adequado á cada tipo. Os rótulos trazem essa informação. Aguarraz ou essência de terebintina para tintas á óleo. Thinner para tinta esmalte.
Agua para tintas acrílicas, aquarelas, guaches, látex, tinta para tecido, etc.
- Envelhecimento - Técnicas que produzem efeitos de envelhecimento ou de muito uso em um trabalho artesanal.
- Envernizar - Aplicar verniz.
- Escovas - De aço, para escovar a madeira obtendo assim pequenas fendas e relevos na mesma. Escova dental, para "espirrar" a tinta e conseguir aspecto envelhecido em um trabalho.
- Esfumado - A mistura duas cores diretamente na superfície do trabalho para produzir um efeito esfumaçado.
- Esponjas - Podem ser vegetal ou aquelas de uso doméstico. Dependendo da textura da esponja o efeito final é diferenciado, mais leve ou mais forte.
- Espátulas - Ferramentas em formatos de pás , em metal ou em plástico, que são utilizadas para aplicar tintas ou massas.
- Essência de Terebintina - Solvente tradicional das tintas á óleo.
- Estêncil - São modelos feitos em acetato ou plástico com desenhos vasados e são usados para aplicar tinta em uma peça artesanal.
- Falso Acabamento -Nome dado ás pinturas que imitam materiais presentes na natureza mármores, madeira,etc.
- Gesso Acrílico - É uma pasta usada para obtenção de relevo em peças de madeira, também serve para produzir efeito de relevo em telas destinadas á pintura acrílica ou á óleo.
- Gouache -Nome técnico dado ás aquarelas opacas.
- Jateado - Peça de vidro ou metal que recebe jatos de areia e para se tornarem foscas e porosas.
- Lixas - São usadas em madeira para tirar imperfeições e farpas. As mais comuns são encontradas em folhas com numeração (ou grana) que indica o poder de abrasão. As de menor numero, são mais grossas e geralmente usadas para desgastar ou para retirar camadas velhas de tinta.. As de numero maior, são mais finas e indicadas para confecção de pátinas ou acabamento final.
Existem categorias diferenciadas quanto ao uso: Lixas para madeira.
Lixa para ferro. Lixa para argamassa. Lixa d'água (usada com água, querosene ou outros solventes líquidos, que vão lavando as impurezas retiradas pela lixa).
- Massas para Textura - São massas próprias para execução de texturas em diferentes superfícies, como madeira, cerâmica, telas, etc. (Massa de modelar, massa acrílica, massa corrida, etc.)
- Medium Acrílico - Diluente utilizado para retardar a secagem da tinta acrílica.
- MDF - Medium Density Fibreboard - São fibras de madeira resinadas e prensadas em formato de pranchas que apresentam densidade média usadas para confecção de caixas, ou outro tipo de artesanato que necessite de madeira.
- Monocromático - É um trabalho feito com vários tons degradês de uma cor.
- Marchetaria - Palavra oriunda do francês, marqueter, embutir.Arte de enfeitar as superfícies planas de móveis, painéis, pisos, tetos, através da aplicação de madeiras diversos, tais com principal suporte a madeira.
- Risco ou Desenho - Desenho que será passado para a madeira, tecido, vidro, ou metal, para ser pintado. Pode-se transferir com papel quimico ou passando um lápis preto no verso do papel vegetal ou do papel de seda.
- Paleta - Placa onde são colocadas as tintas
- Pigmento - É como são chamados os ingredientes que dão cor ás tintas.
- Pirógrafo - Ferramenta elétrica que possui um pequeno bastão ao qual são acopladas pontas de metal que podem ser trocadas, possuindo diferentes formatos. Essas pontas se aquecem e quando pressionadas á superfícies de madeira, queima a madeira produzindo sulcos e desenhos.
- Pirogravura - A pirogravura é a arte de desenhar ou gravar com ferro incandescente os mais diversos motivos, podendo exercer-se sobre um grande leque de materiais.Os mais usados: madeira e couro.
- Patchwork - Patchwork é um trabalho manual feitos de pedaços de tecidos emendados. O patchwork é a emenda dos retalhos costurados de forma a formar desenhos. Você pode fazer colchas, mantas de sofá, paineis de parede, roupas e pequenas utilidades para o lar.
- Policromático -Trabalho desenvolvido baseado em várias cores. A utilização de cores diversas resultará em um trabalho vibrante e intenso. Para um projeto que transmita paz e tranquilidade, deve-se trabalhar com cores harmônicas e tons pastéis.
- Preenchimento - È o preenchimento dos espaços no risco, com as cores indicadas.
- Primeira Veladura - Primeira passada de tinta.
- Produtos Auxiliares - Vernizes, diluentes, médiuns, seladores, massas, pás, paletas, riscos, papel vegetal, e qualquer tipo de produto dos quais se faz uso para auxiliar a pintura.
- Queima - É o ato de levar uma peça ao forno para cozinhar (cerâmicas) ou para a fixação da tinta.
- Quilling - A técnica de quilling resume -se em dar formas em relevo ao papel,
criando imagens como flores, animais e paisagens, em cartões, capas de livros ou cadernos, etc.
- Origami - Origami é uma arte milenar de origem japonesa, que tem como base a criação de formas através da dobradura de papéis, sem o uso de cortes.
A prática do Origami favorece a concentração, destreza manual e paciência.
- Respingado -É o processo de espirrar uma tinta magra sobre uma superfície, com o auxilio de uma escova velha de dentes ou outra ferramenta.
- Reciclagem - Reciclar significa = Re (repetir) + Cycle (ciclo).
A reciclagem é um processo que converte o lixo descartado em produto semelhante ao inicial .Reciclar economiza energia, e poupa recursos naturais. Em meados da década de 80, quando foi constatado que as fontes de petróleo e outras matérias- primas não renováveis estavam e estão se esgotando começaram então a prestar mais atenção na "reciclagem".
- Risco - Motivo ou desenho.
- Riscar - Desenhar um motivo sobre uma superfície com o objetivo de pintá- lo.
- Saturação - É a propriedade de quão intensa pode ser uma cor.
- Scrapbooks - Passatempo que relaciona-se a colar recortes de jornal,artigos de revistas, fotos, em álbuns decorados, ou seja,scrapbooks. É o antigo "diário" das jovens que gostavam de escrever suas experiências do dia-a-dia.
- Secante de Cobalto - Líquido que quando adicionado á tinta á óleo, possibilita que a mesma seque mais rapidamente. A cor violeta desse acelerador não altera a cor da tinta.
- Solvente - Líquido para diluição e limpeza. Existem dois tipos de solventes, sendo que um deles é inodoro (sem cheiro).
- Sombrear - Criar áreas de sombra em uma pintura ou desenho.
- Técnicas de Pintura - É como são chamadas as várias formas de pinturas.
- Termolina Leitosa - Verniz acrílico de múltiplos usos. Como adesivo em trabalhos de decoupagé, ou como impermeabilizante para tecidos (impermeabilizando e possibilitando que se corte sem desfiar), ou usando como verniz sem brilho em qualquer superfície.
- Texturas - São técnicas através das quais pode se obter relevos variados em diversas superfícies (madeira, parede, cerâmica, gesso, etc.), utilizando-se massas especiais ,ou materiais diversos, como pás, linhas, etc
- Thiner - Solvente utilizado para limpar pincéis e utensílios dos resíduos de tinta.
- Tinta Magra - É uma tinta mais aguada ou diluída em água.
- Tons ou Tonalidades - São as nuances de uma mesma cor.
- Transferir o Risco - Transferir um determinado desenho para a superfície a ser pintada. Pode-se fazer uso de papel químico (carbono), que pode ser comprado em papelarias, ou se vc tiver em casa pode usar o papel carbono usado em computador.
- Verniz - É um líquido que possue viscosidade e é aplicado para proteger uma superficie, formando após a sua aplicação uma película transparente. Os vernizes podem ser em spray ou serem aplicados com pincel.
Encontrado em fosco, acetinado, semi-brilho, brilhante ou com alto brilho.
Existem vernizes que possibilitam exposição da peça ao sol , e a escolha deve levar em conta o uso e o local onde a peça envernizada vai ficar.

Dicas de Negócio

Se você está interessado em montar uma loja de armarinho e aviamentos, aproveite algumas destas dicas!
 
Escolha uma área específica
Uma dica é se especializar em uma única área, e só depois expandir o negócio.
Por exemplo, só a área de costura, lã e linha, dispõe de um enorme arsenal em mercadoria.São rolos de tecido, rendas,viéz, vários tipos de agulhas em tamanhos variados e seus materiais componentes necesários para a  realização de um bom trabalho.
A partir da área de costura o negócio poderá se estender e suprir os artesãos de arte e pintura, dispondo de tintas, tecidos , pincéis, caixas em MDF, verniz e assim consequentemente.
Aproveite para visitar feiras de artesanato,  se inteirar sobre as novidades, e fazer cursos preparatórios.
Fornecedores
Para quem é novo no ramo de armarinhos a dica é comprar de atacadistas, inicialmente.
O estoque deverá ser formulado cuidadosamente para que não se acumule erros.
Melhor época para o ramo
O ramo de comércio de armarinhos não é sazonal, ou seja, não depende uma estação do ano para fazer dinheiro, mas se aquece no Natal, Páscoa,  dia Das Mães, e Carnaval.
É preciso estar atento aos produtos acessíveis à essas datas comemorativas, oferecer cursos, e vender revistas de passo a passo.
Localização
A loja renderá mais se estiver em local de fácil acesso à pedestres, e próxima à costureiras e artesãos.
Vender pela internet
Para alcançar mais compradores, uma loja virtual vale a pena e garante lucro certo.
Se você já tem a loja de armarinhos, poderá disponibilizar seus produtos também pela internet, ou então abrir uma loja virtual para começar um negócio.
 
Para executar esse trabalho você poderá contratar os serviços de um construtor de sites, otimizar o site na internet e negociar por email ou telefone. Algumas lojas comerciais do ramo apontam que  17% de suas vendas correspondem à loja virtual.
 
Outras dicas importantes para o empreendedor que deseja investir em um armarinho:
 
· Criar a fidelidade dos clientes
Pode ser feito através da criação de uma carta fidelidade que poderá ser revertida em reduções e descontos depois de utilizada um certo número de vezes.
 
· Oferecer um ambiente aconchegante, mas sem exageros para que os clientes sintam-se à vontade, acolhidos;
 
· Oferecer um serviço cordial e hospitaleiro;
 
· Ter um responsável ou estar presente diariamente no empreendimento;
 
· Relacionar-se bem com a vizinhança;
 
· Para o empreendedor que está começando uma dica para diminuir os custos é investir em alguns móveis e equipamentos usados.
 
Outra estratégia interessante, neste caso para divulgação do negócio, é a participação nas mais diversas feiras e eventos sobre o setor que trazem novidades sobre as tecnologias/serviços empregados e permitem conhecer melhor o próprio mercado e os concorrentes.

Caracteristicas

É importante que o empreendedor tenha aptidão para o negócio e vontade de aprender buscando informações em centros tecnológicos, cursos, livros e revistas especializadas ou junto a pessoas que atuam na área.
Outras características importantes, relacionadas ao risco do negócio, podem ajudar no sucesso do empreendimento:
  • Busca constante de informações e oportunidades.
  • Iniciativa e persistência.
  • Comprometimento.
  • Qualidade e eficiência.
  • Capacidade de estabelecer metas e assumir riscos.
  • Planejamento e monitoramento sistemáticos.
  • Independência e autoconfiança.
  • Senso de oportunidade.
  • Conhecimento do ramo.
  • Liderança.
  • Espírito cooperativo.
 
Além dessas características básicas é muito importante que os profissionais que atuam diretamente com o público, como é o caso do setor comércio, saibam lidar bem com os clientes sendo simpáticos e agradáveis para garantir a sua fidelidade e ganhar sua confiança.
 
Pesquisando e observando seus concorrentes, conhecendo bem o gosto de seus clientes, o empreendedor conseguirá desenvolver diferenciações em sua loja de bolsas e calçados para maior atração de clientes.
 
É necessário estudar bem o assunto estratégia de mercado para poder desenvolver sensibilidade e flexibilidade para rápida adaptação às necessidades e encantamento de clientes. Faça cursos, inclusive, procure o Sebrae, onde encontrará orientação segura, detalhada e gratuita sempre que precisar.

Bibliografia

AIUB, George Wilson et al. Plano de Negócios: Serviços. 2. ed. Porto Alegre: Sebrae, 2000.
 
BARBOSA, Mônica de Barros; LIMA, Carlos Eduardo de. A Cartilha do Ponto Comercial: Como escolher o lugar certo para o sucesso do seu negócio. São Paulo: Clio Editora, 2004.
 
BIRLEY, Sue; MUZYKA, Daniel F. Dominando os Desafios do Empreendedor. São Paulo: Pearson/Prentice Hall, 2004.
 
COSTA, Nelson Pereira. Marketing para Empreendedores: um guia para montar e manter um negócio. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2003.
 
DAUD, Miguel; RABELLO, Walter. Marketing de Varejo: Como incrementar resultados com a prestação de Serviços. São Paulo: Artmed Editora, 2006.
 
DOLABELA, Fernando. O Segredo de Luisa. 14. ed. São Paulo: Cultura Editores Associados, 1999.
 
KOTLER, Philip. Administração de Marketing: a edição do novo milênio. 10. ed. São Paulo: Prentice Hall, 2000.
 
SEBRAE-DF. Armarinho ? Série Ponto de Partida Para Inicio de Negócio . Belo Horizonte: SEBRAE-MG.
 
SILVA, José Pereira. Análise Financeira das Empresas. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2006.
 
Sites
 
http://www.sobre.com.pt/glossario-de-artesanato acesso em julho de 2010
 
http://www.ubrafe.org.br/pt/resultado.php?m=0&c=0&a=2010&p=0&am p;s=6&rg_mes=undefined acesso em julho de 2010